quinta-feira, 23 de abril de 2009

Meu nome é Emerson ,sou mineiro de BH, mas atualmente moro em São João Del Rei MG, casado a 11 anos, filho de Maria Cândida Rodrigues Trindade . Gostaria de relatar o propósito dessa carta e expor um problema que aflige centenas de milhares de brasileiros como eu.
Em julho 16 de 1990, jogo da Copa do Mundo na Itália, (Brasil 1x0 Costa Rica) numa bela tarde de sábado sai para comemorar a vitoria magra do Brasil e acabei sendo atropelado por um motorista bêbado onde acabei tendo o olho direito perfurado no acidente, fui levado as pressas para o Hospital São Geraldo da rede Hilton Rocha referência no tratamento da visão no país, mas nada se pode fazer, realmente a perda foi inevitável e o uso de prótese seria o mais indicado, sendo o que foi feito 6 meses depois, a adaptação no inicio foi dolorosa por vários motivos, tanto estética quanto emocional , eu tinha 17 anos, cheio de planos pela frente sonhava com a carreira militar, mas tudo isso acabou não se realizando devido a visão monocular não permitir.
Eu hoje estou com 35 anos de idade sou casado, tenho uma linda filha de 9 anos uma vida “quase normal”,mas existe milhares de brasileiros que tem a visão monocular e são barrados em entrevistas de empregos e principalmente em concursos públicos pois não somos classificados pela atual legislação como PNE Portadores de Necessidades Especiais e quando aprovados nos concursos somos desclassificados nas pericias e avaliações médicas sob alegação de não sermos aptos o que nos deixa numa situação complicada não somos “pessoas perfeitas” e nem portadores de necessidades especiais (PNE) necessitando em muito dos casos de entrar com mandato de segurança para serem empossado sendo um processo longo e demorado.
Então gostaria de solicitar a possibilidade de junto conosco da ABDVM (Associação Brasileira dos deficientes com visão monocular) abraçar a causa que levantamos junto a Assembléia de Minas afim de que se fosse aprovado a lei na qual poderíamos ser amparados e tratados de igual para igual com os demais PNE existentes, Já que muitos convivem com a discriminação o preconceito e a vergonha, portanto se puder nos ajudar quando da aprovação do tema na Assembléia legislativa ficaríamos muito agradecidos, gostaria também de deixar meu telefone e email de contato caso você tenha mais alguma duvida sobre o assunto, atenção e continue
Email: dsjtapetes@mgconecta.com.br
Atc. Emerson Henriques.

12 comentários:

  1. Olà Emerson,

    Meu nome é Anderson Lemos e estou nesta luta com voce.
    Sou monocular desde 1996 quando perdi a visao por descolamento de retina. Somente quem tem esta deficiência sabe do que estamos falando. Tentei, inutilmente, me adaptar à protese durante 2 anos e agora estou sem protese e com o olho maculado pela tentativa. Tangencia o ridículo uma pessoa com dois olhos ter coragem de dizer que monoculares nao sao deficiêntes. A pessoa com visao monocular sofre fisica e socialmente, principalmente no meu caso que nao se adaptou à protese. Sinto-me um formiga quando lembro que dependo da boa vontade, sensatez e razoabilidade de nossos políticos...

    ResponderExcluir
  2. Meu nome é Reinaldo Duarte e sou monocular desde 11 de Maio de 1979 quando perdi a vista em meu trabalho dentro da empresa, sendo operda por varias vezes com um aparelho eletromagnetico para tentar retirar o corpo estranho que não era de particulas ferrosas assim não teveram exito na operação se tratando de um estilhaço de vidia material para corte de ferros e aços, senti dores e irritaçoes sendo nescessario retirar o globo ocular.
    hoje tenho 50 anos e não consigo entrar em nenhuma empresa não por causa da idade, mas por ter esta deficiência na visão que me enfraqueceu o outro olho esquerdo tendo eu que usar um oculos para correção de dois graus e meio, ando com muito cuidado em meio as mutidões pois posso tropessar em alguem ou dar uma cabeçada tudo tem que ser com muito cuidado, sempre tenho que fazer limpeza na cavidade, pois acumulasse secreçoes e me causa constrangimento ao olhar para as pessoas, e todos notam que tenho defeito no olhar sendo um olho artificial (Protese)

    ResponderExcluir
  3. Meu nome é Guilherme. Também sou usuário de prótese ocular (olho de vidro) e tenho quase 5 graus de miopia no olho em que vejo. A visão monocular é uma deficiência que pode muitas vezes passar desapercebida, mas que compromete seriamente o desempenho do ser humano quando comparamos esse deficiente monocular com seres normais. Somente após estudar profundamente sobre a visão monocular é que pude compreender porque eu era uma pessoa inábil para algumas atividades do dia-a-dia e quais as razões que me levavam a ter sérias dificuldades em outras. Formei-me em direito e atuo na área da auditoria fiscal, mas não é fácil para mim ser profissional dessas áreas. A leitura é lenta, aliás bem mais lenta que de uma pessoa normal. Desde os primeiros anos da vida escolar e principalmente na faculdade tive sérias dificuladades em matérias como laboratório de ciências e desenho arquitetônico, bem como com a relação tempo de leitura x texto. Tentei, então, fazer curso de leitura dinâmica. Não consegui. Dava dor de cabeça. Qual a razão?
    A leitura dinâmica usa a visão periférica perfeita, coisa que nós não temos. Bem continuo lendo lentamente, mas supero trabalhando mais horas que uma pessoa normal para dar conta do serviço e conseqüentemente forçando mais a minha vista. Esse maior esforço fez aumentar minha miopia (principalmente depois do ingresso na faculdade de direito). Nos últimos 10 anos, minha miopia "pulou" de 1 grau para quase 5 graus de miopia. A dificuldade de dirigir e a tensão para conduzir veículo pequeno, único que consigo e posso pela legislação, diga-se de passagem, também deve contribuiu para isso. O lazer também é afetado, não consigo ver filmes em 3D, pois não vemos em três dimensões. Não consigo jogar tênis, ping-pong, frescobol, peteca, etc., pois "rabo" o objeto ou a bola. Sempre fui um "perneta" no futebol por não ter a noção correta da profunidade e da distância, bem como perdia a bola para alguém que chegava pelo meu lado cego. Assim, o desempenho também foi sofrível em outros esportes como vôlei, basquete e handebol, que exigem a coordenação mão/olho. Na hora de martelar um simples prego, erra-se. É comum esbarrar em pessoas ou objetos. Como também não ver ou saber que pessoas estão vindo pelo seu lado cego ou que estão ao seu lado para te cumprimentar e você não viu. Outro dia fechei o porta-malas do carro no braço da minha mulher, pois não percebí que ela estava alí. PODERIA FAZER UM TEXTO ENORME E CITAR VÁRIOS EXEMPLOS DE SITUAÇÕES QUE OCORRERAM COMIGO. CONTUDO, CREIO QUE O MAIS IMPORTANTE É DEIXAR CLARO QUE PERDER OU NÃO NASCER COM UMA VISTA É COMO TER UMA PERNA OU BRAÇO AMPUTADO, A SENSAÇÃO É A MESMA. AS CRISES EXISTENIAIS SÃO ENORMES. VOCÊ SE VÊ COMO UMA ABERRAÇÃO DA NATUREZA, PRINCIPALMENTE QUEM USA PRÓTESE. É VISÍVEL! POR MAIS QUE VOCÊ LIMPE, SAI SECREÇÃO. TODA VEZ QUE VOCÊ TIRA A PRÓTESE VOCÊ SE LEMBRA QUE NÃO TEM UM OLHO!

    CITO DA LITERATURA MÉDICA BRASILEIRA:

    "As anomalias mais severas envolvendo os olhos são as microftalmias e/ou anoftalmias (MA). A microftalmia é a diminuição do olho definida em termos do diâmetro da córnea ou comprimento axial e a anoftalmia é a ausência congênita de todos os tecidos do olho"

    "A perda dos olhos (órgãos de reconhecida importância funcional e estética), representa uma situação angustiante para o paciente, podendo desencadear os mais diversos problemas que se refletem na conduta social do indivíduo mutilado. O paciente anoftálmico pode apresentar dificuldades em estabelecer vínculos afetivos, de organizar a vida frente às novas circunstâncias, sentimento de inferioridade e rejeição em relação ao meio de convivência.

    A sua falta de independência denota necessidade de apoio e encorajamento, sendo assim, um tratamento personalizado pode ser oportuno. [...]

    A aparência facial interfere nas mais diversas situações, como na educação, relacionamento e emprego, daí sua reconhecida importância. A auto-imagem e expectativas baseadas em como o indivíduo se percebe e o que espera para compor sua estética facial/pessoal, são aspectos diretamente relacionados com a atuação do profissional."

    "Há perdas, que por suas características, têm a tendência de provocar grandes alterações nas vidas das pessoas. A perda de um olho é uma amputação, ocasionando um luto como a morte. Além do problema óbvio da cosmética final, existe uma consideração na qual, para algumas pessoas, é intolerável – a imagem corporal defeituosa sendo uma deformidade facial considerada muito maior que qualquer outra."

    "aquele que perde a visão binocular será sempre um aleijado visual com prejuízos irreparáveis para o desempenho de suas atividades laborais, de crescimento profissional, de integração sócio-econômica."

    "Deve-se considerar que existem incontáveis tarefas profissionais que simplesmente exigem visão binocular perfeita; que a sua ausência irá dificultar sobremaneira o desempenho de certas tarefas e irá impedir o desempenho de outras.”

    EU PODERIA FALAR MUITO MAIS COISAS, MAS ACHO QUE ISSO JÁ BASTA PARA MOSTRAR UM POUQUINHO DA DIFICULDADE DE SER MONOCULAR (CEGO DE UM OLHO), PRINCIPALMENTE PORQUE SOU USUÁRIO DE PRÓTESE OCULAR.

    ResponderExcluir
  4. Muita coisa a gente se esquece,por ja ter passado muito tempo e o que nosso amigo Guilherme redigiu é uma grande verdade, certa feita meus cunhados me convidaram para jogar bola um jogo entre familia seria casados contra solteiros e passaei vergonha fazia coisas que nem eu mesmo acreditava a bola passava por mim desapercebida pois não via nada e a gosação foi total, com isto eu assino em baixo tudo que o nosso amigo falou a dificuldades são terriveis em todas as areas leitura eu sou pessimo as letras se embaralham de talforma que eu tenho que acompanhar com regua todo texto são grandes as dificuldades, realmente eu me sinto um aleijado de visão a noita tudo piora eu quase não saio a noite pela dificuldade noturna e para dirigir a noite nem se fala a visão cai de tel forma que os faxos de luz dos outros veiculos se multiplicar embaralhadamente com se fossem varios carros vindo em sua direção ao invés de um. morei em uma fazenda por três anos e a noite tinhamos cultos e para chegar no local passavamos por varias situações que me constrangia, não há iluminação nas ruas de fazenda como todos nos sabemos e entre uma fazenda e outra há mata-burros para que os gados não passem de uma fazenda para outra assim sendo, eu tinha que me guiar pelos amigos colocando mina mão no ombro para poder passar no mata-burros e mesmo no caminho que nada enxergava, são experiencias terriveis que ja passei, e sei que por muitas outras ainda passarei pois todos os dias novas situações vem abraços a todos monoculares

    ResponderExcluir
  5. Olá a todos!
    Meu nome é Pedro Fernandes, tenho 28 anos, perdi minha visão no olho esquerdo aos 23 anos em um acidente na qual tive rompimento do globo ocular, sendo saturado, mas não dando tempo para salvar a retina. Minha esposa estava grávida de 8 meses, eu sofri o acidente no sábado, passei por diversas cirurgias e meu filho nasceu na quinta, quase que não consigo participar do nascimento do meu filho, por estar internado. Trabalhava em empresa privada, estudei para isto, me preparei para isto, quando enxergava com os dois olhos.
    Passado 6 meses do acidente, já sabendo que ficaria cego por completo do olho, meu oftalmologista falou sem medo algum de me deixar preocupado ou de afertar-me psicologicamente, mas do que já estava sem a visão de um olho: VOCÊ VAI SER MANDADO EMBORA DA EMPRESA ASSIM QUE RETORNAR, PORQUE VOCÊ TRABALHA NA ADMINISTRAÇÃO E ELES NÃO ACEIAM PESSOAS COMO VOCÊ!!!!
    Neste momento eu fiquei revoltado, porque eu não era deficiente, mas apartir daquele dia, eu era tratado como um deficiente, vou adiante, tratado como um ogro, pois meu rosto ficou desconfigurado e para a sociedade, dar emprego para um cadeirante ou outro deficiente reconhecido pela lei é bonito, para um monocular sem um olho é normal, mas desconhecem a seleção que fazem quando competimos com os chamados normais. Imediatamente liguei para meu chefe e mancamos uma reunião, onde tivemos uma longa conversa sobre o assunto, na qual consegui permanecer, acredito eu devido todo o trabalho que realizei aos longos dos 5 anos já trabalhados e que minha formação foi adquirida anterior ao acidente (nem quero imaginar estudar tanto como estudei somente com um olho, pois hoje faço o básico de leitura e sofro com isto) e pelo caráter dele, pois eu dormi em uma condição neste planeta e acordei com outra, na qual nunca imaginava que monoculares recebiam tanta discriminação, pois eu era um membro da sociedade sem conhecimento da causa, afinal, não me interessava quem não enxergava com um olho, na verdade nem sabia que se chamavam monoculares. Infelizmente, ou felizmente, pela amizades que consegui na nova vida monocular, eu participei dos dois lados,um dia era um jovem de 23 anos com saúde completa, no outro um ogro discriminado e desprezado pelos governantes e parte da sociedade.
    Certo dia caminhando dentro do Extra de Sorocaba, fui vira em um corredor e esbarrei com uma senhora, ela estava no meu ponto cego e me falou: Está cego meu filho? Eu respondi: Estou! Quem estava do lado achou uma falta de respeito com aquela senhora e eu fui obrigado a tirar minha prótese para mostrar que eu estava apenas falando a verdade, onde todos ficaram HORORIZADOS.
    A partir disto resolvi encarar o problema de frente e ajudar a todos os monoculares que conhecia, comecei a pensar: imagina quem não pode comprar uma protese que custa mais de 700 reais? Se hoje, eu que tinha 23 anos quando perdi a visão sou discriminado deste jeito e me sinto mal, imagina quem nasceu assim? Sinto-me cansado ao ler, minha outra visão está sendo comprometida, sinto dores, imagina quem está assim desde criança? e quem está com 40 anos assim e ainda por cima sem emprego?
    Que apoio uma criança tem dentro de sala de aula para estudar e não comprometer outros orgãos? Ou para não ser chamado de pirata, caolho, ceguinho, como diversos amigos atuais relatam que eram chamados?
    Faço parte da ABDVM (Associação Brasileira dos Deficientes com Visão Monocular) e ao longo deste tempo que estou ajudando com minha humilde colaboração, tenho percebido que escolhi o caminho certo e acredito que um dia a realidade do monocular do Brasil vai melhorar. Que poderemos ter apoio para adentrar no mercado de trabalho, tão discriminados como somos. Que seremos vistos não como inválidos, não é isto que quero, mas como pessoas que precisam de condições para tentarem superar as perdas causada por esta deficiencia. Perdas existem e são diferentes em todas as deficiências, afinal, no Brasil o presidente Lula é deficiente? É (que comprometimento fisico ou sensorial ele teve com a perda?). E o Pedro Fernandes sem um olho? Rosto deformado sem a prótese? Não é. Sou normal? Não, reconhecido por autoridades da medicina, estudos, etc. Sou o que então? um ogro? não faço parte dos seres humanos?
    Um amputado pode colocar uma protese e andar normalmente, um monocular coloca uma prótese, jamais voltará a enxergar e ainda vai sentir dores, limpar secreções, passar constrangimentos.....Certo, não vamos comparar deficiências, afinal certamente um amputado é deficiênte. Mas porque um monocular não?
    Tantas perguntas para poucas respostas dos que se dizem entendedores. Tantas opiniões sem fundamentos de pessoas que não entendem da deficiencia, de pessoas que colocam obstáculos pensando no bem próprio.
    Mas eu sou monocular e não desito nunca, porque brasileiro parece que não querem que eu seja. Espero que a história do patinho feio tenha o final que todos sabem e não o que poucos querem. E que Deus ilumine a cabeça e coração dos governantes deste país, incluíndo do estado de Minas Gerais!!

    ResponderExcluir
  6. NAO E NADA FACIL VIVER 24 ANOS DA MINHA VIDA COM ESSA CRUZ..................

    ResponderExcluir
  7. MEu nome é Valéria, tenho 32 anos, tenho visão monocular desde o nascimento devido a uma placa de corioretinite causada por toxoplasmose congênita. Lendo os relatos dos companheiros de deficiência percebi que certas dificuldades não são meros descuidos "ou lerdesas" como sempre julguei ser. Nunca tive bom desempenho em esportes, jamais consigo jogar algo nas mãos de outra pessoa pis sempre erro. Tenho diversas cicatrizes no braço direito (lado do olho cego) por não conseguir me limitar bem em espaços pequenos. Vendo um filme em 3D percebi definitivamente que ter visão monocular é ter sim uma ida limitada, pelo menos em algumas áreas da nossa vida.
    Sou fincionária pública a 14 anos, não tive dificuldades para entrar na rede, dirijo a 12 anos, mas tenho a permição limitada a usar carros domésticos e jamais poderia exercer função remunerada atraves da direção de veículos. Sou Pedagoga, psicopedagoga. enfim, basicamente a deficiência não afeta minhas funções, mas seria melhor se eu enxergasse com os dois olhos. Concordo que deveriamos ser PNE, pois os concursos atuais exigem acuidade visual minima nos dois olhos.
    Não sou de Minas Gerais, mas quem sabe a partir da iniciativa partindo de um estado tão expressivo quanto este, o restante do pais possa abraçar a causa e dar mais valor às difculdades dos moculares.

    ResponderExcluir
  8. Olá, tenho visão monocular desde que nasci e hoje tenho 40 anos. Passei por todos esses constrangimentos ja narrados acima e hoje tbm, apesar de ler muito, também tenho dificuldades em ler devido a constante perda de ritmo e de sempre pular para a linha errada nos términos das frases. Com relação ao vida profissional, também tentei a carreira de piloto de avião, mas abandonei o curso ao ser informado que com a deficiência que possuia, jamais chegaria a ser um profissional da área. Minha habilitação també é restrita a categoria B, e també não pude servir no exercito, na polícia militar e nem ser motorista profissional. Mas não nos enquadramos na categoria de deficientes físicos, e assim sendo, não temos direitos, só obrigações. Abraço a todos!!! Moro em Minas Gerais e espero também uma mudança que venha a trazer um pouco de dignidade e justiça aos que padecem deste problema.

    ResponderExcluir
  9. Amigos Sou Monocular a 10 anos perdi a visão do (O.E) devido um acidente no Futebol tenho 23 anos , mas sofri muito devido ao preconceito(apelidos na escola comentarios...) que me apertavam o coração,mas conheci a Jesus e tentei experimentalo em minha vida o complexo a depressão, acabaram ( digo que preciso me aceita muito ainda) mas hoje ja me aceito do jeito que sou Deus nos ama assim desse jeito mesmo! mas um dia tudo será perfeito!!!!

    ResponderExcluir
  10. oi amigos meu nome é FELIPE RIBAS, também so monocular tenho 16 anos e perdi a vista devido a um deslocamento de retina, é verdade é muito dificil ser assim por que somos barrados em diversas coisas como o nosso amigo já citou logo a cima. no olho que enchergo tenho 3 graus de miopia, não uso prótese mas o meu (O.E) é mais "mucho" e mais sensivel que o outro "normal" meu sonho éra servir o exército tbm mas infelismente não vou poder, hoje estou trabalhando de estágiário na prefeitura de minha cidade, e acho q vou t q fazer um concurso e fikar por aki pois é um dos poucos concursos que ainda aceita a gente...
    li todos os casos, e o que mas me chamou atenção foi do FERNANDESPORTO, na parte q ele conta que esbarrou em uma senhora com seu lado "cégo" digamos assim, e éla perguntou se ele estava cégo, já passei por isso tbm muitas vezes, para mim é ruim no trabalho que as vezes quando vou de camisa social, a manga fika presa nas maçanetas, fiko constrangido com isto, mas só lá no "meu" setor somos tres monoculares, eu e mais dois colégas de serviço, isto é bom para mim e para eles damos muitas risadas juntos...mas o meu maior medo hj é de perder a outra visão...
    gente abraços e boa sorte nos seus futuros, que eu quero ter uma no meu...

    ResponderExcluir
  11. meu nome é Gilson, sou de BH, olha gente, eu sei o quanto é dificio pra quem usa prótese, seja ela ocular ou outros tipos, eu sofrí um pouco quando era criança, pois passei a usar a prótese quando eu tinha apenas 2 anos e quatro meses de idade, sofria muito com as gozaçoes de alguns colegas de escola, mas devido eu ser uma pessoa de nao brigar nem ligar com as gozaçoes, eles acabavam perdendo a graça e nao me apelidavam mais. eu sempre fui tímido e por ser um usuario de prótese, isso almentava mais ainda a minha timidez. mas graças a DEUS, eu consegui adquirir grandes e verdadeiras amizades, devido ao meu jeito humilde, prestativo, e de fácil convívio. eu sou um felizardo, pois nao tive problemas no campo afetivo nem profissional, pois tive muitas oportunidades, só que eu é quem fui o próprio culpado nisso, pois nunca fui de dar o valor necessário a estas pessoas que me deram estas oportunidades. eu tambem entro nesta luta a favor da nossa categoria de usuários de próteses, pois sei que muitos sofrem desrespeitos, preconceitos, desqualificaçoes e outros abusos de pessoas irracionais. vamos juntos nesta luta, pois UNIDOS somos MAIS. abraços

    ResponderExcluir
  12. olá amigos o meu olho sai muita secreção existe alguma solução para acabar ou reduzi-la isso é muito constrangedor..me ajudem.. obrigado..

    ResponderExcluir